Blind Guardian com novo single programado

Por Júlio André Gutheil | Em 01/05/10 | Fonte: Blind Guardian no Facebook

fonte: http://whiplash.net/materias/news_863/107033-blindguardian.html

Segue abaixo tracklist e capa do single “A Voice In Tne Dark”, que será o primeiro do novo disco ainda sem título do BLIND GUARDIAN:

1. A Voice in the Dark (5:45)
2. You’re the Voice (John Farnham Cover) (4:43)
3. War of the Thrones (5:20)

A data de lançamento do single será no 25 de junho deste ano, e o álbum tem previsão de lançamento para setembro.

Na imagem eu imagino que este senhor vestido de branco seja o mago Gandalf, da Trilogia do Anel (O Senhor dos Anéis).

Os fãs do BG bem sabem que eles tem muitas inspirações, inclusive um cd (Nightfall in the Middle-Earth), com inspirações Tolkeniana… não estranho nada se esse novo cd tiver mais alguns toques deste excelente escritor. 

O Profeta tá certíssimo!

fonte: http://www.gazetaesportiva.net/nota/2010/04/26/633216.html

Luiz Ricardo Fini – São Paulo (SP)

O retrospecto mostra que o São Paulo não tem motivos para temer o jogo contra o Universitario, mas o meio-campista Hernanes se mantém em alerta para evitar surpresas nas oitavas de final da Copa Libertadores da América.

“Não vai ser fácil, pois o futebol está se tornando cada vez mais competitivo. O Peru não tem uma tradição tão grande no futebol sul-americano e podemos nos impor com o que o São Paulo representa, mas tradição não entra em campo e temos de fazer nosso trabalho prevalecer”, afirmou.

Em sua história, o Tricolor disputou apenas dois amistosos contra o Universitario, acumulando uma vitória (5 a 1, em 1945) e um empate (2 a 2, em 1959). Sem levar em consideração os dois distantes compromissos, o atacante Washington lembra a atual campanha do adversário para prever uma partida complicada.

“Será um jogo difícil e temos que respeitar o adversário, pois está invicto. Mas o São Paulo sempre entra como favorito, mesmo com a pressão”, afirmou.

Apesar de ter encerrado a fase de grupos no segundo lugar de sua chave, o Universitario passou sem derrotas pelos seis jogos, com duas vitórias e quatro empates.

Jorge Wagner vê Tricolor preparado para Mata-Mata

fonte: http://www.gazetaesportiva.net/nota/2010/04/23/632851.html

Danilo Vital, especial para a GE.Net – São Paulo (SP)

O São Paulo inicia na próxima quarta-feira, contra o Universitario, do Peru, um sistema de disputa no qual tem acumulado fracassos nos últimos anos. Terá início a fase de mata-mata da Copa Libertadores e, após série de quatro eliminações na competição, o Tricolor tenta se superar para buscar o tetracampeonato. Para o ala esquerdo Jorge Wagner, o time está preparado para isso.

“Desde o início do ano nós traçamos objetivos e o principal deles é a Copa Libertadores. Tudo que fizemos nesse período de pré-temporada e disputa do Campeonato Paulista foi visando essa competição. Estamos indo bem e sabemos que é difícil conquistar o título, mas nosso pensamento está direcionado para isso”, disse o jogador. Para ele, as eliminações recentes deixaram um aprendizado grande.

“Esse ano, nosso grupo é experiente. Temos jogadores que já disputaram várias vezes essa competição. Algumas situações que aconteceram dentro de campo nas eliminações anteriores, nós não vamos mais cometer”, continuou Jorge Wagner, em referência às quedas diante de Cruzeiro, Fluminense, Grêmio e Internacional, nas últimas edições da competição continental.

“Poderíamos ter segurado a bola um pouco mais no ataque em vez de arriscar alguma jogada quando estávamos com o resultado a favor. Contra o Fluminense, fomos eliminados dessa forma. São coisas que não vamos mais fazer”, exemplificou Jorge Wagner. Além da Libertadores, o São Paulo também foi eliminado de disputas de mata-mata na Recopa Sul-americana, Copa Sul-americana e Campeonato Paulista recentemente.

O trunfo para 2010 é o fato de decidir as disputas dentro do Morumbi. Como fez a segunda melhor campanha da primeira fase, o Tricolor só não teria tal privilégio em caso de duelo com o Corinthians, o que só seria possível em caso de encontro na final. Se isso acontecer, o confronto decisivo será realizado no Pacaembu.

“A responsabilidade de decidir em casa é grande e eu vejo vantagem nisso, sim. Você pode administrar o resultado fora e decidir a classificação diante da torcida. Ano passado, aconteceu a eliminação contra o Cruzeiro no Morumbi, mas isso serviu de lição e acredito que nosso momento é diferente. Temos jogadores mais vividos, então esse ano vai ser diferente”, complementou o jogador.

Ultimato Washington

fonte: http://espnbrasil.terra.com.br/saopaulo/noticia/116921_EM+REUNIAO+RICARDO+GOMES+DEU+ULTIMATO+A+WASHINGTON

Nada de desabafar mais ao microfone. A mensagem é clara. Washington não terá mais nenhuma outra chance em caso de nova indisciplina. De acordo com o Jornal da Tarde, ele e Ricardo Gomes se reuniram na quarta-feira, pouco antes da partida contra o Once Caldas, pela Libertadores, e conversaram a portas fechadas no CT da Barra Funda para se acertarem.

Com carta branca da diretoria, Ricardo Gomes teria condenado mais uma vez a atitude do atacante e comunicado que, se voltar a repeti-la, estaria fora. “Tivemos uma excelente conversa. Ele estava abatido e ficou bem. Não por acaso, entrou com vontade depois”, revelou o treinador.

As críticas que Washington fez à escalação da equipe após a eliminação no Campeonato Paulista, no domingo, contra o Santos, não foram aceitas pelo elenco. O goleiro Rogério Ceni foi um dos que recriminou a postura do jogador. “Se eu falasse o que ele falou, eu estaria errado. Na vida, não podemos contestar publicamente chefe. Se me tiram do time amanhã, tenho duas alternativas: vou embora ou vou para o campo treinar. Isso serve para todo mundo aqui no São Paulo”, disse.

Geezer Butler comenta sobre Peter Steele

fonte:http://whiplash.net/materias/news_864/106509-typeonegative.html

Traduzido por Nathália Plá | Em 22/04/10 | Fonte: Blabbermouth

O legendário baixista de heavy metal, Geezer Butler, (BLACK SABBATH, HEAVEN & HELL) apresentou a seguinte declaração a respeito do falecimento do líder do TYPE O NEGATIVE Peter Steele:

“Eu fiquei tão entristecido em ouvir falar do falecimento do Pete Steele. Ele realmente era um dos sujeitos mais bacanas que conheci. Ele veio à primeira apresentação do G//Z/R, em Nova Iorque, dando seu apoio a nós.

A última vez que o vi foi em Copenhague na turnê do HEAVEN & HELL, onde ele me entrevistou num encontro de baixista para baixista. Nós nos divertimos muito conversando juntos.

Eu sempre sustentei que o melhor cover do SABBATH foi a versão do TYPE no álbum ‘Nativity In Black’.

Eu sempre ficava ansioso para escutar o que ele iria trazer – ele era sempre surpreendente, musicalmente, e uma pessoa muito especial.

Um dos realmente grandes deixou os palcos.

Descanse em paz, Pete. A lagoa secou.”

O guitarrista que toca com GEEZER, Pedro Howse, sobre Peter Steele:

Na noite passada recebi um e-mail do Geezer com a triste, triste notícia da morte do Pete Steele.

Eu encontrei Pete algumas vezes pelo caminho e sem sombra de dúvida ele era um dos sujeitos mais bacanas que conheci. Ele era inteligente, cativante, extremamente engraçado e de bons modos.

A última vez que o vi foi em 2007 em Copenhague na turne do HEAVEN & HELL. Ele entrevistou o Geezer. Ele estava em seu normal, ele nos tinha nas mãos rindo e a entrevista que ele fez foi fantástica.

Eu nunca vou esqueceer a primeira vez que o vi. Era a apresentação de estréia do G//Z/R no Limelight em Nova Iorque. Eu tava tão nervoso que poderia vomitar por dias. Estavamos na escadaria para subir pro palco e eu disse a ele que estava me borrando todo. Ele pos sua mão no meu ombro e me deu uma taça de vinho e disse ‘beba’, que foi o que eu fiz.

Como eu poderia recusar, ha!!! Também acho que a versão do TYPE O NEGATIVE de ‘Black Sabbath’ foi a melhor no álbum ‘Nativity In Black’.

Estou feliz por ter conhecido Pete Steele e estou muito triste eu saber de seu falecimento. Outro bom que se foi.

Deus te abençoe, Pete, ergo um brinde a você”.

Aliados de Gomes

Cicinho saiu em defesa do técnico Ricardo Gomes na reapresentação do São Paulo, nesta quinta-feira, no CT da Barra Funda. Na noite anterior, o comandante tricolor foi vaiado e chamado de “burro” na vitória por 1 a 0 sobre o Once Caldas, resultado que assegurou o primeiro lugar no Grupo 2 da Taça Libertadores e, consequentemente, a vaga nas oitavas de final. O auge dos protestos dos mais de 50 mil torcedores no Morumbi se deu no segundo tempo quando o treinador tirou Fernandinho, autor do gol, para colocar Jean.

 – A reação da torcida é injusta, e até comentei com alguns jogadores. Claro que pode vaiar, mas estávamos vencendo e sendo vaiados. O treinador sabe o que faz. O chamaram de burro, mas depois viram a equipe crescer. Ele tirou os jogadores cansados. Às vezes, o torcedor tem uma visão, e o técnico, outra. Trabalhamos e demonstramos vontade, por isso esperamos que nas próximas fases a torcida jogue 90 minutos do nosso lado. Precisamos muito disso eo que pedimos é paciência.

 Apesar de não ter aprovado o comportamento da torcida, o camisa 23 disse que a atitude não prejudica o time em campo, mas certamente atrapalha. Assim, reforçou o pedido para que o torcedor apoie o time.

 – Não prejudica porque somos acostumados com isso. Atrapalha, mas não intimida. As vaias não vêm em boa hora. Você precisa vencer o jogo e aí ouve vaias, o que deixa a equipe um pouco receosa de sofrer um gol. Acredito que não foi de uma maneira justa e no momento certo. Respeitamos o torcedor, mas pedimos que ele faça como fez nas competições passadas: apoie – reforçou.

 Cicinho aproveitou para demonstrar publicamente que Gomes tem o apoio do grupo.

– O Ricardo é o mais cobrado porque tem que escalar, e nem sempre os onze
que ele escolhe conseguem o resultado. Ele não é o único culpado. Quando perdemos, assume as consequências, mas sabe que estamos com ele.

Fernandinho, que foi o escolhido para sair no momento do protesto da torcida contra Gomes, também defende o tecnico, que, segundo ele, acertou na substituição de um atacante por um volante. O jogador lembra que a equipe colombiana estava começando a dominar o Tricolor, que sofria com o cansaço dos homens de frente.

– Eu entendi claramente que foi uma opção tática. No segundo tempo o time teve dificuldade e perdeu um pouco no meio porque eu, Marlos e Dagoberto estávamos cansados. Ele quis botar um volante para ganhar o meio na marcação. O torcedor tem o direito de cobrar, pois paga ingresso, mas a substituição teve sentido sim.

Vitória pra espantar “má fase”

http://espnbrasil.terra.com.br/saopaulo/noticia/116527_SAO+PAULO+VENCE+ONCE+CALDAS+E+SE+CLASSIFICA+NA+LIDERANCA+DO+GRUPO+2

Com o Morumbi cheio, o São Paulo ganhou do Once Caldas por 1 a 0, nesta quarta-feira, e conseguiu se classificar às oitavas de final da Libertadores na liderança do grupo 2.

Fernandinho marcou o gol que garantiu a classificação e a liderança ao São Paulo

Fernandinho marcou o gol que garantiu a classificação e a liderança ao São Paulo
Crédito da imagem: Reuters

O gol da vitória do time tricolor foi marcado por Fernandinho, substituto do insatisfeito Washington entre os titulares, no final do primeiro tempo de jogo.

Com o resultado, o São Paulo alcançou 13 pontos, dois à frente da equipe colombiana. Os dois times estão na próxima fase. Na outra partida da chave, o Nacional-PAR venceu o Monterrey por 2 a 0.

O jogo

Para espantar a crise e acabar com a desconfiança da torcida, o São Paulo apostou na velocidade para furar o bloqueio dos visitantes. Com o retorno de Marlos, que chamou a responsabilidade desde o início do duelo, o Tricolor levou perigo nos primeiros instantes. Logo aos dois minutos, Fernandinho ganhou a bola pela esquerda, avançou até a linha de fundo e cruzou para Dagoberto, que se antecipou à defesa para cabecear perto do gol.

No lance seguinte, Marlos carregou a bola pela intermediária e encontrou o momento certo para tocar na área, onde apareceu Jorge Wagner, que ajeitou de cabeça para Dagoberto, mas, mesmo livre, o atacante furou de frente para o goleiro. Com a disposição de se fechar atrás, o Once Caldas concentrou seus contragolpes nos pés de Dayro Moreno, que recebeu atrás da zaga com liberdade e cabeceou para fora, assustando Rogério Ceni.

Depois dos avanços iniciais, o time colombiano tratou de fechar o meio-campo para diminuir os sustos atrás. O Tricolor, por sua vez, parou em algumas faltas dos adversários e encontrou dificuldades para criar novamente perigo, mesmo com mais domínio de bola. Assim, o time de Ricardo Gomes só voltou a ter oportunidade aos 30 minutos, em cobrança de falta de Hernanes, que obrigou o goleiro Luis Martínez a se esticar para defender.

Quando a torcida tricolor começou a pedir a entrada de Washington, o time conseguiu abrir o placar. Aos 40, Dagoberto tocou na área para Marlos, que ganhou na raça de Henríquez e saiu de frente para o goleiro. Mas o meia-atacante preferiu rolar para Fernandinho, que chegou livre para concluir e abrir a contagem.

O Once Caldas voltou com uma disposição diferente para a etapa complementar, com Cárdenas na vaga de Pérez. O time colombiano concentrou as jogadas em seu sistema ofensivo e quase calou o Morumbi em um chute de primeira de Dayro Moreno, exigindo ótima defesa de Rogério Ceni.

Ao observar a busca dos visitantes por jogadas ofensivas, Ricardo Gomes decidiu fechar o meio-campo, tirando Fernandinho para a entrada de Jean. A torcida ficou inconformada com a alteração e vaiou o treinador, que foi chamado de ‘burro’ por parte dos fãs.

A substituição chamou ainda mais o Once Caldas para a pressão contra os donos da casa. Depois de cobrança de escanteio, Castrillón subiu sozinho para cabecear na trave. No lance seguinte, Rogério Ceni fez boa defesa em cobrança de falta do adversário. A torcida seguiu descontente, e Gomes fez nova alteração. Aplaudido, Washington entrou no lugar de Jorge Wagner.

O São Paulo voltou a se arriscar na frente, mas ainda levou sustos com os avanços perigosos do Once Caldas, que não conseguiu evitar a derrota.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 0 ONCE CALDAS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 21 de abril de 2010, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Diego Hernán Abal (da Argentina)
Assistentes: Ariel Fernando Bustos e Diego Pablo Romero (ambos da Argentina)
Cartões amarelos: Jorge Wagner e Richarlyson (São Paulo). Dayro Moreno (Once Caldas)
Público: 50.461 pagantes
Renda: R$ 1.502.694,57
GOL: SÃO PAULO: Fernandinho, aos 40 minutos do primeiro tempo

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Cicinho, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Rodrigo Souto, Hernanes (Cléber Santana), Jorge Wagner (Washington) e Marlos; Dagoberto e Fernandinho (Jean)
Técnico: Ricardo Gomes

ONCE CALDAS: Luis Martínez; Luis Núñez, Oswaldo Vizcarrondo, Alexis Henríquez e Iván Vélez; Diego Arias, Jhon Valencia, Dayron Pérez (Cárdenas) e Jaime Castrillón (Amaya); Danny Santoya (Uribe) e Dayro Moreno
Técnico: Juan Carlos Osorio