São Paulo fecha parceria com Figueirense

fonte: http://www.gazetaesportiva.net/nota/2010/04/26/633230.html
Florianópolis (SC)

O Figueirense anunciou oficialmente, neste domingo, que firmou uma parceria com o São Paulo Futebol Clube. No acordo, o time de Santa Catarina deve receber jogadores que não serão utilizados pelo Tricolor, além de uma melhora no departamento de futebol do Figueira.

Um dos grandes responsáveis para o acordo acontecer foi o diretor do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, que já trabalhou na diretoria do clube de Florianópolis e ainda atua como consultor para o alvinegro.

Como principal homem da parceria, Marco Aurélio trabalharia muito para convencer atletas que não estão sendo aproveitados no São Paulo a irem para Santa Catarina ganhar oportunidades de jogar e serem mais valorizados, ajudando o Figueirense a voltar à Série A do Brasileirão, grande objetivo do clube.

“O São Paulo tem uma grande estrutura e todos a conhecem. Com a parceria, vamos implantar uma gestão profissional no nosso futebol”, afirmou o presidente do Figueira, Nelson Lodetti, ao anunciar o acordo entre as duas equipes.

O Figueirense ainda deve anunciar alguns reforços antes da estreia da equipe na Série B, que será realizada no dia 8 de maio, quando o time vai a São Caetano, enfrentar o Azulão no Anacleto Campanella.

O Profeta tá certíssimo!

fonte: http://www.gazetaesportiva.net/nota/2010/04/26/633216.html

Luiz Ricardo Fini – São Paulo (SP)

O retrospecto mostra que o São Paulo não tem motivos para temer o jogo contra o Universitario, mas o meio-campista Hernanes se mantém em alerta para evitar surpresas nas oitavas de final da Copa Libertadores da América.

“Não vai ser fácil, pois o futebol está se tornando cada vez mais competitivo. O Peru não tem uma tradição tão grande no futebol sul-americano e podemos nos impor com o que o São Paulo representa, mas tradição não entra em campo e temos de fazer nosso trabalho prevalecer”, afirmou.

Em sua história, o Tricolor disputou apenas dois amistosos contra o Universitario, acumulando uma vitória (5 a 1, em 1945) e um empate (2 a 2, em 1959). Sem levar em consideração os dois distantes compromissos, o atacante Washington lembra a atual campanha do adversário para prever uma partida complicada.

“Será um jogo difícil e temos que respeitar o adversário, pois está invicto. Mas o São Paulo sempre entra como favorito, mesmo com a pressão”, afirmou.

Apesar de ter encerrado a fase de grupos no segundo lugar de sua chave, o Universitario passou sem derrotas pelos seis jogos, com duas vitórias e quatro empates.

Jorge Wagner vê Tricolor preparado para Mata-Mata

fonte: http://www.gazetaesportiva.net/nota/2010/04/23/632851.html

Danilo Vital, especial para a GE.Net – São Paulo (SP)

O São Paulo inicia na próxima quarta-feira, contra o Universitario, do Peru, um sistema de disputa no qual tem acumulado fracassos nos últimos anos. Terá início a fase de mata-mata da Copa Libertadores e, após série de quatro eliminações na competição, o Tricolor tenta se superar para buscar o tetracampeonato. Para o ala esquerdo Jorge Wagner, o time está preparado para isso.

“Desde o início do ano nós traçamos objetivos e o principal deles é a Copa Libertadores. Tudo que fizemos nesse período de pré-temporada e disputa do Campeonato Paulista foi visando essa competição. Estamos indo bem e sabemos que é difícil conquistar o título, mas nosso pensamento está direcionado para isso”, disse o jogador. Para ele, as eliminações recentes deixaram um aprendizado grande.

“Esse ano, nosso grupo é experiente. Temos jogadores que já disputaram várias vezes essa competição. Algumas situações que aconteceram dentro de campo nas eliminações anteriores, nós não vamos mais cometer”, continuou Jorge Wagner, em referência às quedas diante de Cruzeiro, Fluminense, Grêmio e Internacional, nas últimas edições da competição continental.

“Poderíamos ter segurado a bola um pouco mais no ataque em vez de arriscar alguma jogada quando estávamos com o resultado a favor. Contra o Fluminense, fomos eliminados dessa forma. São coisas que não vamos mais fazer”, exemplificou Jorge Wagner. Além da Libertadores, o São Paulo também foi eliminado de disputas de mata-mata na Recopa Sul-americana, Copa Sul-americana e Campeonato Paulista recentemente.

O trunfo para 2010 é o fato de decidir as disputas dentro do Morumbi. Como fez a segunda melhor campanha da primeira fase, o Tricolor só não teria tal privilégio em caso de duelo com o Corinthians, o que só seria possível em caso de encontro na final. Se isso acontecer, o confronto decisivo será realizado no Pacaembu.

“A responsabilidade de decidir em casa é grande e eu vejo vantagem nisso, sim. Você pode administrar o resultado fora e decidir a classificação diante da torcida. Ano passado, aconteceu a eliminação contra o Cruzeiro no Morumbi, mas isso serviu de lição e acredito que nosso momento é diferente. Temos jogadores mais vividos, então esse ano vai ser diferente”, complementou o jogador.

Depois de Elogio, Washington está confiante

fonte: http://www.gazetaesportiva.net/nota/2010/04/24/632895.html

São Paulo (SP)

A maré de Washington começou a mudar. Depois de reclamar abertamente de sua situação no elenco assim que o Tricolor foi eliminado do Campeonato Paulista pelo Santos e, na sequência, levar uma multa da diretoria pela indisciplina, o camisa 9 parece ter reconquistado o respeito do técnico Ricardo Gomes.

Bastante elogiado pelo treinador após o treino de sexta-feira, Washington garantiu estar pronto para deixar o momento turbulento para trás e voltar a fazer o que mais sabe, para alegria da torcida são-paulina, que ficou ao seu lado durante a rápida confusão.

“Pode esperar, sim, aquele Washington do começo do ano. Aquele artilheiro. Vou procurar fazer o melhor para o São Paulo e lutar pela Libertadores. Estou motivado novamente e a confiança está voltando. Estou feliz novamente e ajudarei muito o São Paulo”, garantiu o experiente goleador, em entrevista ao site oficial do São Paulo.

Autor de 43 gols em 77 partidas disputadas com a camisa tricolor, Washington assegurou que nunca perdeu a vontade de ajudar o time, mesmo quando foi cortado até dos jogadores que ficaram no banco de reservas.

“Vontade de jogar sempre vou ter. Aconteceram estes problemas, mas espero voltar o mais rápido possível para o time e dar continuidade àquele bom momento do começo do ano. Tenho de trabalhar e fazer o meu melhor”, concluiu.

Bathory: super banda preparando tributo para shows

Por Emanuel Seagal | Em 24/04/10 | Fonte: Imhotep

fonte: http://whiplash.net/materias/news_864/106713-bathory.html

O webzine Imhotep disponibilizou um vídeo, que pode ser conferido abaixo, contendo entrevista e trechos de ensaio do super grupo que fará um tributo ao BATHORY. A banda, nomeada “Twilight of The Gods” (sexto álbum do Bathory), conta com os seguintes músicos:

– Alan Nemtheanga (PRIMORDIAL)
– Blasphemer (AVA INFERI, AURA NOIR, ex-MAYHEM)
– Frode Glesnes (EINHERJER)
– Nick Barker (BENEDICTION, ex-DIMMU BORGIR, ex-TESTAMENT)
– Patrik Lindgren (THYRFING)

O BATHORY foi formado em 1983 pelo músico sueco Quorthon, falecido em 2004, e lançou doze álbuns. A banda teve grande influência no viking metal e é uma das pioneiras do black metal.

Confira alguns trechos da entrevista.

Como tudo começou?

Alan: “Apenas mandei uns e-mails por aí, tentando descobrir quem estaria interessado, quem eu já conhecia que poderia ou teria interesse em fazer”.

Frode: “Quando eu ouvi pela primeira vez que uns caras iriam fazer covers do Bathory, eu apenas torcí que talvez eu estivesse tocando no mesmo festival para que eu pudesse ver o show, sabe? Então, é, alguns dias depois recebi o e-mail do Alan, e tudo mudou”.

Paul e eu vimos vocês na sala de ensaio hoje e tem soado muito bem, e vocês tem feito isso há três dias. Como vocês se preparam para o show que vocês farão no fim de maio?

Blasphemer: “Eu acho que todos nós, quando definimos a lista de músicas, todos nós ensaiamos as músicas em casa, é claro, então nos encontramos muito bem preparados, além disso, temos ensaiado sete ou oito horas por dia”.

Nicholas Barker: “Agora estou me sentindo mentalmente exausto, mas estou certo de que todos outros estão, porque tivemos, cerca de oito horas de ensaio, mas tem soado bem, todos tem trabalhado duro, e tudo está funcionando, bem rápido na verdade, em três dias”.

Frode: “Eu estava bastante confiante de que conseguiríamos, é claro, e, não sei, o sentimento, toda a atmosfera na banda tem sido ótima”.

Blasphemer: “Ele me perguntou se eu teria tempo e interesse em participar, e eu achei que era uma ótima idéia, então aceitei”.

Nicholas: “O mesmo pra mim, Alan me contactou via e-mail e explicou tudo, quais eram suas intenções, e eu também recomendei o senhor Blasphemer como guitarrista, enquanto estávamos discutindo membros que se encaixariam, e acho que tudo funcionou”.

Blasphemer: “Meu primeiro encontro com o Bathory foi o álbum ‘Blood Fire Death’, a faixa-título na verdade, eu a ouví numa rádio sueca na verdade, nos anos oitenta, e fiquei fascinado”.

Se fosse algo focado nos trabalhos mais recentes da banda, seria algo interessante pra você do mesmo jeito?

Patrik: “Provavelmente não seria interessante pra mim, para mim os álbuns épicos são realmente os trabalhos do Bathory que eu realmente aprecio”.

A escolha das músicas foi um processo difícil?

Blasphemer: “Não, discutimos as músicas, mas havia faixas óbvias que tínhamos que tocar, como a música ‘Blood Fire Death’, não seria um tributo apropriado se não tivesse essa música, em minha opinião”.

Ultimato Washington

fonte: http://espnbrasil.terra.com.br/saopaulo/noticia/116921_EM+REUNIAO+RICARDO+GOMES+DEU+ULTIMATO+A+WASHINGTON

Nada de desabafar mais ao microfone. A mensagem é clara. Washington não terá mais nenhuma outra chance em caso de nova indisciplina. De acordo com o Jornal da Tarde, ele e Ricardo Gomes se reuniram na quarta-feira, pouco antes da partida contra o Once Caldas, pela Libertadores, e conversaram a portas fechadas no CT da Barra Funda para se acertarem.

Com carta branca da diretoria, Ricardo Gomes teria condenado mais uma vez a atitude do atacante e comunicado que, se voltar a repeti-la, estaria fora. “Tivemos uma excelente conversa. Ele estava abatido e ficou bem. Não por acaso, entrou com vontade depois”, revelou o treinador.

As críticas que Washington fez à escalação da equipe após a eliminação no Campeonato Paulista, no domingo, contra o Santos, não foram aceitas pelo elenco. O goleiro Rogério Ceni foi um dos que recriminou a postura do jogador. “Se eu falasse o que ele falou, eu estaria errado. Na vida, não podemos contestar publicamente chefe. Se me tiram do time amanhã, tenho duas alternativas: vou embora ou vou para o campo treinar. Isso serve para todo mundo aqui no São Paulo”, disse.

Jogadores do São Paulo comemoram vantagem de decidir quase todas em casa

fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Sao_Paulo/0,,MUL1577627-9875,00.html

Com a segunda melhor campanha da Libertadores, o São Paulo tem a vantagem de decidir todos os jogos do mata-mata em casa, menos contra o Corinthians, que ficou em primeiro na classificação geral. O adversário das oitavas de final é o Universitario, e o duelo de ida é nesta quarta-feira, às 19h30, em Lima. O fato de poder resolver em casa contra quase todo mundo é valorizado pelos jogadores do Tricolor.

– Vejo vantagem de poder fazer a segunda partida em casa e administrar
fora o primeiro jogo. Tivemos uma eliminação contra o Cruzeiro nestes moldes na Libertadores passada, que serviu de lição. O momento hoje é diferente, estamos mais experientes e vividos – ressaltou Jorge Wagner, lembrando a queda são-paulina diante do Cruzeiro nas quartas.

Cicinho também comemora a possibilidade de resolver a classificação em casa, principalmente por ter o apoio do torcedor. Na partida contra o Once Caldas, a última da fase de classificação, mais de 50 mil pessoas estiveram no Morumbi, e o Tricolor venceu por 1 a 0.

– Vimos o torcedor lotando o Morumbi e o visitante se intimidando. Tínhamos feito três jogos contra o Once Caldas na história e nunca havíamos vencido, e no Morumbi mudamos a história. Lá o São Paulo é muito forte. Nós nos motivamos com o torcedor gritando, incentivando. Conhecemos o campo centímetro por centímetro – acrescentou o lateral.