O Profeta tá certíssimo!

fonte: http://www.gazetaesportiva.net/nota/2010/04/26/633216.html

Luiz Ricardo Fini – São Paulo (SP)

O retrospecto mostra que o São Paulo não tem motivos para temer o jogo contra o Universitario, mas o meio-campista Hernanes se mantém em alerta para evitar surpresas nas oitavas de final da Copa Libertadores da América.

“Não vai ser fácil, pois o futebol está se tornando cada vez mais competitivo. O Peru não tem uma tradição tão grande no futebol sul-americano e podemos nos impor com o que o São Paulo representa, mas tradição não entra em campo e temos de fazer nosso trabalho prevalecer”, afirmou.

Em sua história, o Tricolor disputou apenas dois amistosos contra o Universitario, acumulando uma vitória (5 a 1, em 1945) e um empate (2 a 2, em 1959). Sem levar em consideração os dois distantes compromissos, o atacante Washington lembra a atual campanha do adversário para prever uma partida complicada.

“Será um jogo difícil e temos que respeitar o adversário, pois está invicto. Mas o São Paulo sempre entra como favorito, mesmo com a pressão”, afirmou.

Apesar de ter encerrado a fase de grupos no segundo lugar de sua chave, o Universitario passou sem derrotas pelos seis jogos, com duas vitórias e quatro empates.

Jorge Wagner vê Tricolor preparado para Mata-Mata

fonte: http://www.gazetaesportiva.net/nota/2010/04/23/632851.html

Danilo Vital, especial para a GE.Net – São Paulo (SP)

O São Paulo inicia na próxima quarta-feira, contra o Universitario, do Peru, um sistema de disputa no qual tem acumulado fracassos nos últimos anos. Terá início a fase de mata-mata da Copa Libertadores e, após série de quatro eliminações na competição, o Tricolor tenta se superar para buscar o tetracampeonato. Para o ala esquerdo Jorge Wagner, o time está preparado para isso.

“Desde o início do ano nós traçamos objetivos e o principal deles é a Copa Libertadores. Tudo que fizemos nesse período de pré-temporada e disputa do Campeonato Paulista foi visando essa competição. Estamos indo bem e sabemos que é difícil conquistar o título, mas nosso pensamento está direcionado para isso”, disse o jogador. Para ele, as eliminações recentes deixaram um aprendizado grande.

“Esse ano, nosso grupo é experiente. Temos jogadores que já disputaram várias vezes essa competição. Algumas situações que aconteceram dentro de campo nas eliminações anteriores, nós não vamos mais cometer”, continuou Jorge Wagner, em referência às quedas diante de Cruzeiro, Fluminense, Grêmio e Internacional, nas últimas edições da competição continental.

“Poderíamos ter segurado a bola um pouco mais no ataque em vez de arriscar alguma jogada quando estávamos com o resultado a favor. Contra o Fluminense, fomos eliminados dessa forma. São coisas que não vamos mais fazer”, exemplificou Jorge Wagner. Além da Libertadores, o São Paulo também foi eliminado de disputas de mata-mata na Recopa Sul-americana, Copa Sul-americana e Campeonato Paulista recentemente.

O trunfo para 2010 é o fato de decidir as disputas dentro do Morumbi. Como fez a segunda melhor campanha da primeira fase, o Tricolor só não teria tal privilégio em caso de duelo com o Corinthians, o que só seria possível em caso de encontro na final. Se isso acontecer, o confronto decisivo será realizado no Pacaembu.

“A responsabilidade de decidir em casa é grande e eu vejo vantagem nisso, sim. Você pode administrar o resultado fora e decidir a classificação diante da torcida. Ano passado, aconteceu a eliminação contra o Cruzeiro no Morumbi, mas isso serviu de lição e acredito que nosso momento é diferente. Temos jogadores mais vividos, então esse ano vai ser diferente”, complementou o jogador.

Depois de Elogio, Washington está confiante

fonte: http://www.gazetaesportiva.net/nota/2010/04/24/632895.html

São Paulo (SP)

A maré de Washington começou a mudar. Depois de reclamar abertamente de sua situação no elenco assim que o Tricolor foi eliminado do Campeonato Paulista pelo Santos e, na sequência, levar uma multa da diretoria pela indisciplina, o camisa 9 parece ter reconquistado o respeito do técnico Ricardo Gomes.

Bastante elogiado pelo treinador após o treino de sexta-feira, Washington garantiu estar pronto para deixar o momento turbulento para trás e voltar a fazer o que mais sabe, para alegria da torcida são-paulina, que ficou ao seu lado durante a rápida confusão.

“Pode esperar, sim, aquele Washington do começo do ano. Aquele artilheiro. Vou procurar fazer o melhor para o São Paulo e lutar pela Libertadores. Estou motivado novamente e a confiança está voltando. Estou feliz novamente e ajudarei muito o São Paulo”, garantiu o experiente goleador, em entrevista ao site oficial do São Paulo.

Autor de 43 gols em 77 partidas disputadas com a camisa tricolor, Washington assegurou que nunca perdeu a vontade de ajudar o time, mesmo quando foi cortado até dos jogadores que ficaram no banco de reservas.

“Vontade de jogar sempre vou ter. Aconteceram estes problemas, mas espero voltar o mais rápido possível para o time e dar continuidade àquele bom momento do começo do ano. Tenho de trabalhar e fazer o meu melhor”, concluiu.

Jogadores do São Paulo comemoram vantagem de decidir quase todas em casa

fonte: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Sao_Paulo/0,,MUL1577627-9875,00.html

Com a segunda melhor campanha da Libertadores, o São Paulo tem a vantagem de decidir todos os jogos do mata-mata em casa, menos contra o Corinthians, que ficou em primeiro na classificação geral. O adversário das oitavas de final é o Universitario, e o duelo de ida é nesta quarta-feira, às 19h30, em Lima. O fato de poder resolver em casa contra quase todo mundo é valorizado pelos jogadores do Tricolor.

– Vejo vantagem de poder fazer a segunda partida em casa e administrar
fora o primeiro jogo. Tivemos uma eliminação contra o Cruzeiro nestes moldes na Libertadores passada, que serviu de lição. O momento hoje é diferente, estamos mais experientes e vividos – ressaltou Jorge Wagner, lembrando a queda são-paulina diante do Cruzeiro nas quartas.

Cicinho também comemora a possibilidade de resolver a classificação em casa, principalmente por ter o apoio do torcedor. Na partida contra o Once Caldas, a última da fase de classificação, mais de 50 mil pessoas estiveram no Morumbi, e o Tricolor venceu por 1 a 0.

– Vimos o torcedor lotando o Morumbi e o visitante se intimidando. Tínhamos feito três jogos contra o Once Caldas na história e nunca havíamos vencido, e no Morumbi mudamos a história. Lá o São Paulo é muito forte. Nós nos motivamos com o torcedor gritando, incentivando. Conhecemos o campo centímetro por centímetro – acrescentou o lateral.

Comentários de Torcedor, pós Once Caldas 2 x 1 São Paulo

Perdemos por bobeira… jogamos bem, mas perdemos por 2 erros individuais… Marcelinho que babou… nunca mais jogou bem… tá devendo ainda… e o Jean que por falha dele tomamos o segundo.  Cicinho tava mal… jogou mal… mas os gols não sairam por causa dele…
Não culpo o W9 por ter perdido o gol não.. se o SP tivesse ganho não estaríamos criticando… porque ninguém elogia quando o time joga bnem mas perde quando pode? Só sabem elogiar o time quando ganha jogando mal ou bem… lamentável….

É hoje! Once Caldas x São Paulo

fonte: http://espnbrasil.terra.com.br/saopaulo/noticia/105048_SEM+RICARDO+GOMES+SAO+PAULO+LUTA+POR+LIDERANCA+ANTE+ALGOZ+ONCE+CALDAS

Como se não bastasse o impacto da derrota no clássico contra o Palmeiras, o São Paulo tem um problema ainda maior para seu próximo jogo na Copa Libertadores da América. Depois de sofrer uma leve alteração vascular cerebral, o técnico Ricardo Gomes está afastado dos trabalhos e deixará o time sob o comando interino de Milton Cruz no duelo com o algoz Once Caldas, na noite desta quinta-feira, na Colômbia.

ACOMPANHE A PARTIDA NO ESPN.COM.BR/TEMPOREAL

Com o desfalque pouco comum do treinador, o elenco tenta se reerguer para derrotar a equipe colombiana, que também luta pela liderança do grupo 2 do torneio continental.

“O adversário venceu uma partida fora e já esperávamos um jogo dificílimo. As últimas coisas complicaram um pouco mais, mas temos que estar juntos, pois este vai ser o remédio na busca pela vitória”, receitou o meio-campista Hernanes.

playClique para assistir ao vídeo

Richarlysin prevê dificuldades para o São Paulo na Colômbia

O também meio-campista Richarlyson prevê dificuldades para a equipe diante do rival, campeão da competição em 2004. “A gente sabe do poder que o Once Caldas tem dentro do seu estádio, dentro da sua cidade, então vamos esperar uma dificuldade enorme, mas estamos prontos para tentar os três pontos”.

E os problemas vão além. Como cada clube só pôde inscrever 25 atletas no torneio, o desfalque de vários jogadores obrigou o treinador interino a relacionar Alex Silva e Rodrigo Souto, que, apesar de liberados pelos médicos, ainda não estão com o condicionamento físico ideal.

Mesmo com os percalços, Milton Cruz tem a confiança de que o São Paulo apresenta condições de vencer o clube colombiano. “Na Libertadores, teoricamente não é ruim empatar fora de casa. Mas o São Paulo sempre joga em função de vitória e nunca pensou em sair para empatar. Vamos para ganhar o jogo”.

O Once Caldas, porém, não traz boas recordações aos tricolores, já que eliminou a equipe brasileira na semifinal da edição de 2004, quando se sagrou campeão. Rogério Ceni e Cicinho estavam naquele duelo e esperam a revanche nesta quinta-feira.

“Tenho a expectativa de recuperar parte do que perdi há seis anos. Aquela partida também não daria título, pois ainda teríamos de jogar uma final. Mas, hoje, com um time mais completo, temos merecimento maior de conseguir uma vitória”, analisou o capitão são-paulino.

Apesar de ter recebido carta branca de Ricardo Gomes para montar o time, Milton Cruz não deve promover muitas alterações. A única mudança será para suprir a ausência de Renato Silva, que foi vetado pelo departamento médico. Desta forma, Xandão e Miranda formam a dupla de zaga, e Richarlyson entra para reforçar o meio-campo.

Ainda sem contar com Dagoberto, lesionado, a linha de frente continua com Marcelinho Paraíba e Washington. Nas laterais, a responsabilidade fica com Cicinho e Jorge Wagner.

Ao contrário do São Paulo, o Once Caldas não tem problemas para a partida desta quinta-feira. O clube colombiano defende uma invencibilidade de 19 jogos no estádio Palogrande, em Manizales, que fica a uma altitude de 2.153 metros.

Além disso, o técnico Juan Carlos Osorio planeja promover a reestreia do atacante Dayro Moreno, que volta ao clube em que ganhou projeção depois de passagem pelo futebol da Romênia.

O jogo em Manizales vale a liderança da chave no torneio, já que o São Paulo estreou na Libertadores com triunfo sobre o Monterrey (do México), enquanto o Once Caldas derrotou fora de casa o Nacional (do Paraguai).

FICHA TÉCNICA:
ONCE CALDAS-COL X SÃO PAULO

Local: Estádio Palogrande, em Manizales (Colômbia)
Data: 25 de fevereiro de 2010, quinta-feira
Horário: 21h10 (de Brasília)
Árbitro: Pablo Pozo (CHI)
Assistentes: Patrício Basualto e Francisco Mondria, ambos chilenos

ONCE CALDAS: Luis Martínez; Iván Vélez, Oswaldo Vizcarrondo, Alexis Enríquez e Luis Núñez; Diego Arias, Jaime Castrillón, Dayron Pérez e Fernando Cárdenas; Dayro Moreno e Dany Santoya
Técnico: Juan Carlos Osorio

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Cicinho, Alex Silva, Miranda e Jorge Wagner; Jean, Richarlyson, Hernanes e Cléber Santana; Marcelinho Paraíba e Washington
Técnico: Milton Cruz

Torcida x Arquibancada Azul

fonte: http://espnbrasil.terra.com.br/saopaulo/noticia/102554_RICHARLYSON+RACHA+TORCIDA+E+CRIA+DUELO+ORGANIZADA+X+AZUL+NO+MORUMBI

Richarlyson racha torcida e cria duelo ‘organizada’ x ‘azul’ no Morumbi

por ESPN.com.br

Antes mesmo de a bola rolar no Morumbi na partida que o São Paulo venceria o Monterrey, do México, por 2 a 1 na estreia de ambos na Libertadores da América, torcedores do clube travaram na arquibancada um verdadeiro duelo. Verbal. O motivo das hostilidades: o meio-campista Richarlyson.

Leia e ouça mais:
ÁUDIO: Na reestreia de Cicinho, São Paulo debuta na Libertadores com vitória sobre Monterrey
Blog do Paulo Calçade: São Paulo: jogo ruim, resultado bom
ÁUDIO: Cléber Santana admite desentrosamento e diz que importante é a vitória
“Inacreditável”, Cicinho já ganha a confiança do técnico Ricardo Gomes

Como já acontece há algum tempo, a Independente, principal grupo organizado tricolor, não gritou o nome do atleta antes do início da partida. O ritual é normal. Indignada, a maior parte da torcida são-paulina presente no estádio, na área denominada azul, tratou de fazer justiça e iniciou o canto: “Ri-char-ly-son, Ri-char-ly-son…”. O jogador acenou de volta.

Postada na arquibancada laranja, atrás do gol para o qual o São Paulo atacou no primeiro tempo, a Independente tomou a iniciativa como um desafio e respondeu com hostilidade ao atleta: “Hey, Richarlyson, vai tomar no c.”. A agressão não tinha um motivo que a justificasse. Era gratuita.

Richarlyson rachou a torcida no Morumbi; em campo, foi mal de novo

Richarlyson rachou a torcida no Morumbi; em campo, foi mal de novo
Crédito da imagem: Vipcomm

O torcedor comum, na área azul, voltou a se manifestar. E também com cantos de baixo calão: “Independente, vai se f., o meu São Paulo não precisa de você.” Em menor quantidade, mas presente, os tricolores ocupantes das arquibancadas amarela (atrás do outro gol) e vermelha permaneciam calados.

Nova resposta da Independente: “Hey, azul, vai tomar no c., “Hey, azul, vai tomar no c.”. Uma enorme vaia estrondou no Morumbi, abafando a manifestação da organizada. Com a bola rolando, Richarlyson foi mal. Afobado como sempre, errou em demasia, principalmente no primeiro tempo. Irritou ‘azuis’ e ‘organizados’.

Após o apito final, a Independente voltou a se manifestar. “Hey, Richarlyson, vai tomar no c.”. Já dispersos, os ‘azuis’ ouviram a nova hostilidade, mas não se manifestaram. Dentro das quatro linhas, Richarlyson não tinha feito por merecer. Assim como não tinha o mínimo cabimento a agressão a ele, de novo, sem motivo algum, antes de a bola rolar.